domingo, 10 de maio de 2015

- Calmaria


Lembro até hoje que foi você que me chamou mais atenção no primeiro dia, não de uma forma boa, nem ruim. Mas se me perguntarem do que eu lembro com todos os detalhes daquele dia, diria que foi você. Como é incrível, né? Naquele momento, como eu poderia imaginar que viveria os próximos anos com um amor incabível no meu peito? Aos poucos meu olhar pra você foram mudando, já tiveram varias fases, o olhar desconhecido, o de amigo, o de irmão, o de amor, o de tristeza, de perda, o de compreensão, e o de carinho. Apesar de tudo, o carinho tem que permanecer, certo? As vezes acho que reprimimos muitas coisas, diminuímos a atenção que queremos dar um ao outro, mas ja fizemos isso, e sabemos no que deu, no que resultou. Mas, será que estamos fazendo o certo? Meu coração fica bem pequenininho quando te vejo e não falo contigo, volto pra casa como se faltasse algo, sabe? Mas, apesar de todo esse sentimento, essa necessidade de te ter perto, fingir que nada disso existe é o que eu posso fazer agora. Você me traz a calmaria e um terremoto de maneiras tão intensas quanto digo, me acalma, me traz paz quando preciso, ou só fica do meu lado e fala "não vale a pena ficar assim" ou "porque voce fica tão brava hein?" e eu respondo como todas as outras vezes, não sei, não consigo controlar nada, nunca consegui. E é por isso que hoje as coisas estão como estão, é por isso que hoje eu sinto mais saudades do que amor.

domingo, 22 de março de 2015

Você sabe quem errou




Deixei de lado o olhar que me prendia, a paixão que me mantinha refém a anos, e me entreguei a um sorriso meigo, a um abraço desengonçado e a um beijo cheio de desejo, o que já não sentia a muito tempo, que bom que o tempo passa, que bom que pessoas diferentes entram em nossas vidas! Que bom que você foi embora, que bom que você deixou meu coração preparado pra qualquer futuro ferimento, depois de você me mantenho firme, podendo fazer escolhas que até eu achei que não poderia fazer, o que vai ser de hoje em diante ninguém sabe, mas foi bom ter aprendido ser forte com você. 
-iorgut

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Mais um pra você.


Hoje me deu vontade de escrever sobre você, para você! Quanto tempo já passou né? E como ele é ingrato, vai apagando suas feições da minha mente, já não consigo visualizar seus traços nos meus pensamentos, a saudade já não dói no meu peito, e é estranho isso, é estranho não sentir nada, em ter me acostumado com a sua ausência, era tudo tão forte naquele momento... Será que se você ainda estivesse aqui, eu receberia seus abraços constantes? Será que ainda nos falaríamos? Você teria conquistado tanta coisa na sua vida, tanta! Eu acreditava tanto em você, é engraçado como você ficou tão pouco em minha vida e teve um significado tão grande, e eu até hoje não entendo o porque, talvez pelo seu carisma, ou pela pessoa que você era, e que eu nem conhecia tanto assim... Eu queria muito que você estivesse aqui, ainda me apoiando com meus textos malucos, ou distribuindo carinho a todos que estavam ao seu redor. Olhe por nós minha estrela guia, afinal a vida tem que ser maravilhosa né? Saudades.
-iorgut

Talvez você tenha deixado eu ir.


(Você pode ler ouvindo When I look at you)


E hoje mais do que qualquer outro dia a saudade ta machucando, o sentimento tá mais forte sabe? Mas diferente das outras vezes, eu não quero te ver, não quero te  mandar msg, não quero ver esse teu sorriso me que desmonta inteira, nem esse olhar que me intimida tanto, eu não quero mais você. Eu já me despedi, lembra? Eu quero te esquecer, quero me distanciar de tudo que me liga a ti, tudo que me lembra você, ou não. As lembranças podem ficar, principalmente para você, pra quando você olhar pra frente, lembrar o que deixou pra trás, o que esqueceu antes de ir embora. Na minha mente também podem existir, ainda mais aquelas em que estavamos juntos, mas tão longe ao mesmo tempo, ou no último dia que nos vimos, quantas milhas nos separavam, quão frio era tudo, quão triste tudo se tornou, o quão mal eu me senti e quão pouco valeu cada minuto ao seu lado. Eu te amo tanto, mas eu não te quero mais, dessa vez eu não volto!
-iorgut